Por que usar o MÉTODO POSITIVO e educar sem dor ou medo? (parte 03)

Vamos falar sobre o elefante rosa sentado na sala? Sobre esse assunto que parece tabu, ou muitas vezes abordado de forma negativa? Veja aqui o terceiro e último texto sobre nossa série: A importância do não uso de métodos punitivos.

Foto instagram @googleodog

Já esta acompanhando nossa série sobre método positivo na educação do seu dogo? Clique aqui para ler a primeira parte desse conteúdo.

O cão que aprende sem dor ou medo precisa, sim, de consistênciacoerência e persistência. São essas três dicas no método de trabalho que servem para educar qualquer cão.

Consistência significa passar mensagens claras, firmes e diretas de modo que o cão compreenda facilmente o que se espera dele. Parece simples, mas quando dizemos ao cão “senta, senta, senta”, o significado não é o mesmo que “senta”.

Comunicar com firmeza e clareza o que se espera é fundamental para uma boa compreensão do cão.

Por exemplo o senta significa encostar o traseiro no chão. Se o cão só senta depois da terceira vez que ouve a palavra, ele não compreendeu seu significado.

Coerência é o oposto do famoso “ela disse, ele disse”, ou seja, se for permitido subir no sofá, dormir na cama, entrar na piscina ou qualquer outra coisa, não dificulte a compreensão dessas regras para o seu cão. Quando o marido está em casa, não pode dormir na cama, quando vem visita não pode subir no sofá, quando a vovó está em casa não pode pedir comida. É preciso ter clareza de quais são as regras da casa e assumi-las, independente da situação. Quando se quiser abrir exceção, o cão deve ser informado que se trata de uma exceção à regra e ele irá compreender tanto a regra como a exceção.

Persistência também parece simples, mas é algo que precisa ser trabalhado diariamente na relação com seu cão. Muitas vezes, precisamos ser mais teimosos do que eles, afinal, quanto mais brechas deixamos, mais eles irão testar as regras estabelecidas. E, veja bem, persistir não é falar várias vezes a mesma coisa, mas ter consistência no que se pede e persistir naquilo, sendo coerente com as regras estabelecidas.

Dessa forma, conseguimos atingir o objetivo principal de todo o processo na educação dos cães que é tornar-se uma fonte de coisas boas

Ou seja, ser a maior referência de todos os recursos necessários para o bem-estar deles: comida, atenção, passeio, brinquedos, elogios, carinho, liberdade, água, abrigo, companhia e tantos outros recursos valiosos que oferecemos diariamente a eles. Não devemos mais almejar a obediência dos nossos cães, mas a cooperação. Ao invés de sermos líderes, nos tornemos referências.

É por isso que atualmente a Carol se intitula educadora de cães, pois muito mais do que adestrar, há o ensinar os cães a se comunicarem bem conosco e serem muito felizes.

E você? Já parou para pensar sobre qual método de ensino tem sido aplicado com seu dogo? Compartilhe conosco e com outros tutores, para terem acesso a informação.

Conteúdo pela Psicóloga e Educadora Canina desde 2008. Pós-graduada em Comportamento Animal pela UNIFEOB Carol Jardim. Conheça muito mais sobre bem estar e educação canina no perfil da Carol em Turma do Focinho.